Blog do HP

E-mail

peixototv3@gmail.com

WhatsApp

63 9985154180

Blog do HP Topo
Queimadas

Tocantins apresenta redução nos focos de queimadas em 2020

Foram 13.281 focos de incêndios registrados em 2019 contra 11.770 registrados esse ano, ou seja, uma redução de 11,38 %

18/11/2020 09h51
Por: Helder Peixoto
Fonte: Semarh/TO
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os meses de estiagem no Tocantins são marcados pelas altas temperaturas e aumento nos focos de queimadas. Em 2020 o Governo do Tocantins intensificou o combate aos incêndios em todos os municípios do Estado, realizando diversas ações com o objetivo de orientar a população sobre os riscos que as queimadas representam para a saúde pública. 

De acordo com a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Tocantins  (CEPDEC/TO), os últimos dados apontam resultados positivos com a redução das queimadas em todo o Estado se comparado com o ano de 2019.  No ano passado o Tocantins registrou 13.281 incêndios florestais de janeiro a novembro, e nesse ano, até o dia 15 de novembro, os números caíram para 11.770, ou seja, o Estado apresentou uma diminuição de 11,38 % nas queimadas.

Se analisado por bioma, os dados mostram que em 2019 o bioma cerrado, que corresponde aproximadamente 87% do território do Estado, apresentou 13.067 focos de queimadas, e nesse ano foram registrados 11.226 focos, e no bioma Amazônia os números foram 214 focos em 2019, e 544 focos em 2020.

Segundo o Superintendente da Defesa Civil Estadual, Tem Cel Erisvaldo Alves “foram realizadas ações preventivas como visitações e distribuição de cartilhas com informativos sobre as queimadas, tudo seguindo os protocolos de segurança que o momento de pandemia exige”. O Cel ainda ressalta que “além dos malefícios que o fogo desordenado pode causar ao meio ambiente, a população ainda teria o agravante da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), que poderia sobrecarregar o sistema de saúde do Estado”.

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) em parceria com o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e Defesa Civil, órgãos que integram o Comitê do Fogo do Estado do Tocantins, desenvolveram projetos que buscam, além da fiscalização, a educação ambiental.

Foco No Fogo

Dentre as ações realizadas pelas instituições está o projeto Foco no Fogo, que nos meses de julho e agosto desse ano percorreu mais de 900 propriedades, localizadas em regiões apontadas com altos índices de queimadas nos anos anteriores. O mapeamento das propriedades foi possível através de uma parceria entre a Semarh, que utilizou as informações do Cadastro Ambiental Rural (CAR), e o Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf), da Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Gurupi. Os dados com a localização dessas propriedades serviram como norteadores para as equipes realizarem as visitas de forma mais precisa, e assim pudessem chegar a mais pessoas.

Segundo o coordenador do Cemaf, o professor da UFT, Marcos Giongo, “O centro faz o monitoramento das cicatrizes dos incêndios florestais no Tocantins desde o ano 2000 e está finalizando os dados desse ano. Em breve essas informações estarão disponíveis para que seja possível fazer uma análise mais precisa da situação do Estado”. Ainda segundo o professor “além do trabalho de monitoramento via satélite, também são realizadas validações e verificações em campo, ou seja, são informações bem completas dos incêndios e queimadas do Tocantins.

O trabalho de prevenção foi realizado por meio de muitas conversas com os moradores da zona rural que receberam cartilhas, produzidas pela Semarh, que continham orientações sobre o fogo. Além do material impresso, foram entregues máscaras de proteção e álcool em gel doados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e cestas básicas doadas pela Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas).

O trabalho de educação ambiental também foi desenvolvido por meio das redes sociais institucionais da Semarh, e através do Whatsapp Ambiental, que além de divulgar informações sobre o fogo, ainda recebia denúncias sobre queimadas que foram direcionadas aos órgãos competentes.

O secretário da Semarh, Renato Jayme, ressalta que “o Estado busca a cada ano aprimorar as maneiras de atuar no combate as queimadas, desenvolvendo projetos para combater os incêndios e fortalecer as atividades de educação ambiental para a população”. O secretário destaca ainda que “a Semarh atua com diversos parceiros ligados à temática ambiental, e esse ano, mesmo com a pandemia do novo Coronavírus, foi possível realizar um bom trabalho de orientação com o suporte das ferramentas tecnológicas”.

Os 13 municípios que receberam orientações das equipes do projeto foram: Palmas, Pium, Ponte Alta, Paranã, Arraias, Monte do Carmo, Aparecida do Rio Negro, Novo Acordo, Brejinho de Nazaré, Miracema, Miranorte, Paraiso e Porto Nacional.

Boletim Diário

Ainda no primeiro semestre deste ano a Semarh passou a divulgar, através das redes sociais, mensagens de whatsapp e site institucional, os Boletins Diários, que apresentaram para a população os dados consistidos sobre os fatores de risco tais como as variações de temperatura, velocidade do vento e umidade relativa do ar. O informativo foi um importante indicativo sobre os perigos de incêndios no Tocantins.

Os riscos de incêndios foram identificados por cores, sendo: amarelo (Risco Moderado), alaranjado (Risco Alto) e o vermelho (Risco Muito Alto). Todas as informações para a elaboração dos Boletins Diários foram obtidas através do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET).

Cemaf
O Cemaf atua desenvolvendo trabalhos técnicos científicos para suprir demandas na área de monitoramento ambiental. Uma parceria firmada entre a Semarh e a Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Gurupi, possibilitou a implantação do centro, que fornece informações que auxiliam a delimitação efetiva das áreas onde ocorrem incêndios florestais e queimadas do estado do Tocantins.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias