Blog do HP

E-mail

peixototv3@gmail.com

WhatsApp

63 9985154180

Blog do HP Topo
Araguaína

Entrega de primeira etapa do Hospital Municipal Eduardo Medrado possibilita normalização dos atendimentos em outras unidades hospitalares

Novo prédio inicialmente será hospital de campanha de referência para tratamento de pacientes com covid-19, e tem estrutura para 20 leitos de UTI e 40 leitos clínicos

13/10/2020 08h08
Por: Helder Peixoto
Fonte: Ascom/Arn/TO
A entrega da nova unidade foi realizada nesta segunda-feira, 12, no Jardim das Flores (Foto: Marcos Sandes)
A entrega da nova unidade foi realizada nesta segunda-feira, 12, no Jardim das Flores (Foto: Marcos Sandes)
O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, entregou a primeira etapa do prédio próprio do Hospital Municipal Eduardo Medrado (HMEM), nesta segunda-feira, 12 de outubro, localizado no Jardim das Flores. A nova instalação será, inicialmente, um hospital de campanha referência para tratamento de pacientes com covid-19 e tem capacidade de 20 leitos em unidade de terapia intensiva (UTI) e 40 leitos clínicos. 
 
Para o Dimas, o maior ganho com a início de funcionamento da nova unidade é possibilidade de centralizar o tratamento referente à covid-19 para que outros hospitais, unidades básicas de saúde (UBS) e de Pronto Atendimento (UPA) retornem ao atendimento normal. “Aqui será também a única porta de entrada para quem procura atendimento da covid-19. Assim, toda rede de saúde poderá voltar seu foco de atendimento para outras doenças, porque pacientes que precisavam de tratamento eletivos há meses, hoje já precisam do tratamento com urgência”.  
 
O hospital de campanha seguirá o atendimento que vinha sendo realizado na unidade da Vila Norte, que será cedida ao Hospital do Amor para implantação de um centro de prevenção do câncer. “Hoje, o novo prédio tem cinco leitos de UTI e 20 leitos clínicos instalados e os outros leitos serão transferidos para cá na medida que forem ficando vagos no Hospital Municipal de Campanha (HMC). A previsão é que essa mudança seja concluída em 15 dias”, explicou a secretária municipal da Saúde, Ana Paula Abadia. 
 
Já o presidente do Conselho Municipal da Saúde, Jair Clarindo, destacou a atuação da Prefeitura em deixar um legado para Araguaína. “Diferente do que aconteceu em vários municípios do Brasil, em que tudo será desmontado, aqui ficará uma obra para a população”. Segundo levantamento, o recurso investido na construção da etapa, aproximadamente R$ 9 milhões, sendo 66% de contrapartida do Tesouro Municipal, seria igual na instalação de hospital provisório.

Estrutura adequada 
Os leitos contam com estrutura completa, sendo ventiladores pulmonares, carro de parada e monitorização com monitores, oxímetros, bombas de infusão, além de mobiliário geral.  

A equipe de suporte clínica tem com profissionais médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeuta, farmacêutico, bioquímico, entre outros. A operação do local será gerenciada pelo Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), que já administra o Hospital Municipal de Campanha, Hospital Municipal Eduardo Medrado (HMEM) e Ambulatório Médico de Especialidades.  

Obra completa  
Atualmente o HMEM funciona em prédio alugado e adaptado. A obra completa prevê um investimento total de mais de R$ 22,9 milhões, sendo R$ 19,3 milhões oriundos de emenda impositiva da bancada federal tocantinense e R$ 3,5 milhões do Tesouro Municipal.  A área será aproximadamente nove mil metros quadrados, com possibilidade de ampliação vertical no futuro, podendo chegar a mais de 15.000 m².   

A unidade contará com ambulatório de pediatria e cirurgia ambulatorial de adultos; salas de pesquisa química, coleta e imagens; pronto atendimento de urgência e emergência; hall de entrada, onde será feito o acolhimento de pacientes; alas de internação; centro cirúrgico; capela ecumênica; salas para administração; sala de suprimentos e almoxarifado; espaço para farmácia e nutrição; e a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica.  

Detalhes da 1ª etapa   
A obra tem 1.782,89 m² de área construída. A cobertura do prédio é estruturada por perfis metálicos com telha termoacústica, que além de servir como cobertura, têm como função o isolamento da temperatura (termo) e do som (acústica). A estrutura é conhecidas como telha sanduíche, por serem duas placas metálicas de aço galvanizado (ou galvalume) encostadas uma à outra e recheadas por um material isolante.   

Na estrutura de paredes interna foi utilizado o sistema Drywall (placas de gesso acartonado). Esse sistema é eficiente evita o desperdício e acúmulo de entulho, promovendo a sustentabilidade e fácil manutenção. Já na parte externa, o sistema utilizado nas paredes tem a função isolamento de chamas em caso de incêndio.  

A obra conta com estação de tratamento de esgoto, onde o efluente será tratado e lançado na rede de esgoto existente.  Na parte elétrica terá um gerador de 125 KVA em caso de falha no fornecimento de rede elétrica da concessionária.   

O sistema de gases medicinais, que são os tubos de cobre levam oxigênio e ar comprimido para paciente, foi dimensionado para uma futura ampliação do hospital municipal.   

A área externa do hospital tem calçada com piso podotátil (piso para deficiente visual), rampa para acessibilidade, gradil de fechamento no perímetro da obra, grama esmeralda e sistema de irrigação. 

Homenageado 
Nascido em Salvador, Bahia, o médico Eduardo Novaes Medrado Santos tornou-se araguainense em 1981. Personalidade forte, defendia com firmeza seus ideais e teve participação marcante na luta pela criação do Tocantins. Como primeiro secretário, implantou a estrutura da Saúde por todo o Estado e, em Araguaína, o Hospital Regional. 

Visionário, foi o grande responsável pela vinda do primeiro curso de medicina em toda região Centro-Norte, a Faculdade de Medicina do Itpac. Como secretário da Saúde de Araguaína, implantou o Hospital, que hoje leva seu nome, para atender as crianças de toda a região. Faleceu em 2016, aos 70 anos, deixando três filhos e um grande legado para o Brasil.  


A obra tem 1.782,89 m² de área construída



Os leitos contam com estrutura completa, sendo ventiladores pulmonares, carro de parada e monitorização com monitores, oxímetros, bombas de infusão, além de mobiliário geral

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias