Blog do HP
Segunda, 17 de Janeiro de 2022 15:37
63 985154180
Polícia Taguatinga

Homem que agrediu fisicamente sua companheira em local de trabalho é preso em flagrante pela Polícia Civil em Taguatinga

Homem queria dinheiro e demais pertences da vítima que se recusou a entregar e foi agredida

27/11/2021 08h10
Por: Helder Peixoto Fonte: SSP/TO
Backdrop da Polícia Civil
Backdrop da Polícia Civil

No final da tarde desta sexta-feira, 26, a pronta intervenção de policiais civis da 103ª Delegacia de Taguatinga, no sudeste do estado, resultou na prisão, em flagrante delito, de um homem de 23 anos, pelo crime de violência doméstica. Coordenados pelo delegado-chefe da 103ª DP, Lucas Rodrigues, os agentes foram informados de que o autor estava no local de trabalho de sua companheira, também de 23 anos, praticando agressões físicas e ameaças contra a mesma.

Segundo o delegado Lucas, durante o cumprimento de seu expediente de trabalho, a vítima foi surpreendida com a chegada de seu companheiro, que passou a exigir que ela entregasse seu cartão de crédito e valores que possuía em sua bolsa. Diante da negativa, o autor passou a agredi-la fisicamente no local de trabalho e a ameaçá-la de morte caso a polícia fosse acionada.

Imediatamente, os policiais foram até à loja, onde constataram a veracidade das informações e efetuaram a prisão do indivíduo pouco depois da prática dos crimes contra a vítima. Em seguida, ele foi conduzido até a sede da 103ª, onde foi autuado pelos crimes de lesão corporal e ameaça, no contexto da Lei Maria da Penha.

Vítima e autor mantêm um relacionamento afetivo e possuem uma filha. Devidamente autuado, o preso foi encaminhado à unidade prisional de Dianópolis, onde permanece à disposição do Poder Judiciário. As investigações prosseguem para que a Polícia Civil possa elucidar todas as circunstâncias dos fatos.

“É importante registrar que a Lei nº 11.340/06, também conhecida como lei Maria da Penha, criou mecanismos de combate a todos as espécies de violência: física, moral, psicológica, sexual e patrimonial, colocando a Polícia Civil como o porto seguro da vítima de violência familiar”, pontuou o delegado Lucas.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias