Blog do HP
Geral Pará

Santa Casa capacita profissionais da rede pública do interior em cuidados neonatais

Trabalho é feito por videoconferência em todo o Pará e, no período entre 14 e 16 de junho, envolveu profissionais de cinco municípios das regiões sudeste e sudoeste

21/06/2021 12h50
Por: Helder Peixoto Fonte: Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará

No início deste mês, quando a atendente de lanchonete Regiane Pinheiro, 31, moradora da Cabanagem, em Belém, entrou em trabalho de parto algumas semanas antes do previsto, foi atendida na urgência obstétrica da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMP).

Manuela nasceu no último dia 8 de junho: prematura, requereu cuidados semi-intensivos, na perspectiva do Método Canguru, um programa universal que recupera recém-nascidos prematuros ou com baixo peso, a partir de ferramentas humanizadas, como o contato pele a pele de pai e mãe com os bebês. Desde 2013 a Santa Casa é hospital de referência estadual de aplicação do Método Canguru, com certificação pelo Ministério da Saúde (MS).  

Regiane e Manuela já receberam alta, em 14 de junho, em continuam sendo acompanhadas na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro em que moram, por pelo menos um ano, em média. 

“Eu posso dizer que na Santa Casa tive um parto de cinema, uma coisa tão magnífica que mal consigo descrever: porque o ambiente é tudo preparado, os profissionais são todos excelentes. E minha filha recebeu o melhor que poderia, foi uma guerreira”, emociona-se Regiane. 

REDE

O encaminhamento da família pela Santa Casa à unidade de saúde flui no âmbito da rede compartilhada de saúde pública que a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sespa) fortalece como prioritária e na qual a Santa Casa tem a liderança quanto à atenção materna e neonatal.

Semana passada, dos dias 14 a 16 de junho, a Santa Casa concluiu mais uma etapa de capacitação de facilitadores de unidades básicas, com instrução por videoconferência, desta vez para os municípios de Altamira, São Félix do Xingu, Santana do Araguaia, Santarém e Xinguara, nas regiões sul e sudoeste do estado. 

Com programação iniciada em 2020 e transição para a plataforma digital por causa da pandemia do coronavírus, ao todo já foram treinados quase 400 profissionais de saúde de maternidades públicas e unidades básicas, em abordagens como “reanimação neonatal”, “transporte de recém-nascido de alto risco”, “banco de leite humano” e “Método Canguru compartilhado para a unidade básica”.

As oficinas e cursos têm o apoio da Sociedade Paraense de Pediatria (Sopape) e da Organização Panamericana de Saúde (Opas). O objetivo é atualizar de forma permanente as equipes, profissionais e gestores, além de consolidar boas práticas, com difusão tecnológica e compartilhamento de experiências.  

“Quando um bebê que nasceu prematuro, que apresenta baixo peso, por exemplo, tem alta, ele continua demandando cuidado e acompanhamento digamos que especiais por um tempo estabelecido por critérios clínicos, mas também sociais. Nesse caso, então, estamos falando de cuidado integrado, dentro de uma rede compartilhada, que começa na atenção primária, que inclui a maternidade da região, e mantém o seguimento na família, no lar, na unidade de saúde do bairro, do município”, explica a pediatra neonatologista Vilma Hutim, coordenadora do Método Canguru na Santa Casa e presidente da Sopape. 

QUALINEO

Lançada em 2017 pelo governo federal e com base na Política Nacional de Humanização (PNH, 2003) e na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNASIC, 2015), a Estratégia QualiNeo integra políticas públicas nos diferentes níveis de governo, com o objetivo de reduzir índices de mortalidade infantil, sobretudo neonatal (até 28 dias de vida), e de padronizar, bem como de qualificar, os meios de acesso, atendimento e tratamento em maternidades e unidades de saúde para famílias com crianças.   

 *Texto de Aline Miranda (Ascom / FSCMP).

Por Governo do Pará (SECOM)
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias