Blog do HP
Geral Maranhão

Campanha de vacinação contra febre aftosa vai até 30 de junho

Prazo para vacinar rebanhos não será prorrogado.

21/06/2021 12h30
Por: Helder Peixoto Fonte: Secom Maranhão
A meta é atingir índice de cobertura vacinal acima de 95% (Foto: Divulgação)
A meta é atingir índice de cobertura vacinal acima de 95% (Foto: Divulgação)

A campanha de vacinação contra febre aftosa no Maranhão vai chegando à reta final. Os produtores e criadores têm até o próximo dia 30 de junho para adquirir a vacina e imunizar bovinos e bubalinos, de todas as idades.

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) informa que o prazo para vacinar os rebanhos não será prorrogado. A perspectiva é de atingir um índice de cobertura vacinal acima de 95%, do universo de mais de 9 milhões de bovinos e bubalinos do estado.

O Ministério da Agricultura concedeu ao Maranhão um prazo bem estendido para vacinar os animais com o objetivo de evitar aglomerações nas casas de revendas agropecuárias e nos escritórios da AGED para regularização sanitária do rebanho junto ao programa de febre aftosa.

“O prazo foi estendido para que os produtores se programassem e não deixassem de vacinar os animais. Além da necessidade de manter o índice vacinal no estado, a não vacinação no prazo estipulado poderá acarretar em multa, além do impedimento da emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA)”, explicou a diretora de Defesa e Inspeção Animal da AGED, Tânia Duarte.

Agência diz que é compromisso de todos continuar vacinando o gado para que o Maranhão avance no status sanitário para zona livre de aftosa sem vacinação. 

Após a imunização dos animais, o produtor tem até o dia 31 de julho para comprovar a vacinação no escritório da AGED em que sua propriedade está cadastrada, podendo fazer o agendamento. Se preferir, pode fazer a comprovação de modo virtual, bastando conferir os e-mails e contatos dos escritórios da AGED que estão disponíveis no site www.aged.ma.gov.br/atendimento/.

Diante do cenário de pandemia, a AGED recomenda aos produtores que obedeçam aos protocolos sanitários (como uso de máscara, higienização das mãos) emitidos pelas autoridades de saúde no combate ao coronavírus e alerta aos criadores para que não deixem para vacinar e comprovar na última hora.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias