Blog do HP
Domingo, 14 de Julho de 2024
63 985154180
Geral Desenvolviment...

IAT devolve à natureza tamanduá-bandeira encontrado ferido em Wenceslau Braz

O animal passou 20 dias em tratamento no Centro de Apoio à Fauna Silvestre (CAFS) em Londrina, após ser encontrado pesando 27 quilos, desidratado,...

13/06/2024 17h46
Por: Helder Peixoto Fonte: Secom Paraná
Foto: IAT
Foto: IAT

Técnicos dos núcleos regionais de Jacarezinho e de Londrina do Instituto Água e Terra (IAT) devolveram nesta quinta-feira (13) à natureza um tamanduá-bandeira fêmea que foi encontrado ferido no final de maio em um lote urbano de Wenceslau Braz, no Norte Pioneiro. O animal passou 20 dias em tratamento no Centro de Apoio à Fauna Silvestre (CAFS) que funciona na clínica veterinária do Centro Universitário Filadélfia (Unifil), em Londrina, até que pôde ser novamente solto. A Unifil mantém convênio com o IAT para atendimento de animais silvestres.

O tamanduá chegou ao CAFS pesando apenas 27 quilos, estava desidrato, com várias escoriações e fratura na região pélvica. Precisou passar por fisioterapia e procedimentos à lazer para ajudar na cicatrização dos machucados. Nesta quinta, na soltura, já pesava 32 quilos.

De acordo com o Instituto Tamanduá, ONG especializada nos cuidados da espécie, o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) é um mamífero que mede cerca de dois metros, podendo pesar até 45 quilos. A espécie se alimenta principalmente de formigas e cupins, usando as garras dianteiras para abrir buracos no solo e a língua de 60 centímetros para capturar os insetos.

O animal pode ser facilmente reconhecido por sua pelagem característica, que tem uma faixa diagonal preta com bordas brancas que se estende do peito até a metade do dorso, além do característico focinho comprido. É uma espécie solitária, que é mais ativa durante os períodos mais amenos do dia.

ATENDIMENTO –O Centro de Apoio à Fauna Silvestre (CAFS) é um local preparado para receber, identificar, marcar, triar, avaliar, e estabelecer tratamento veterinário para animais acolhidos por órgão ambiental em ações de fiscalização, resgates ou entrega voluntária por particulares.

A permanência dos animais depende do tempo necessário para sua recuperação. O destino pode ser a soltura no habitat natural ou, quando é um risco devolvê-lo para a natureza, são encaminhados a criadouros habilitados pelo IAT, ou mantenedores individuais, igualmente habilitados.

São quatro CAFS em funcionamento no Estado, resultados de parcerias do IAT com o Centro Universitário Filadélfia (Unifil), de Londrina; Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), de Guarapuava; Centro Universitário de Cascavel (Univel) e Unicesumar, de Maringá.

Durante a Semana do Meio Ambiente, o IAT também assinou um termo de cooperação para a criação de um novo CAFS no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu. Com previsão de abertura para o segundo semestre de 2024, a estrutura contará com quarentena, sala de cuidados neonatais, ambulatório e equipamentos para a realização de exames, possibilitando um tratamento mais eficaz para aves resgatadas, como as encaminhadas pelos técnicos do IAT.

COMO PROCEDER –Ao avistar animais machucados ou vítimas de maus-tratos, tráfico ilegal ou cativeiro irregular, o cidadão deve entrar em contato com a Ouvidoria do Instituto Água e Terra ou da Polícia Militar do Paraná.

Se preferir, a pessoa pode ligar para o Disque Denúncia 181 e informar de forma objetiva e precisa a localização e o que aconteceu com o animal. Quanto mais detalhes sobre a ocorrência, melhor será a apuração dos fatos e mais rapidamente as equipes conseguem fazer o atendimento.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias