Blog do HP
Terça, 30 de Maio de 2023
63 985154180
Geral Paraná

Governo apresenta plano de internacionalização ao corpo diplomático que atua no Paraná

Uma das principais ações do plano de internacionalização da economia paranaense é aumentar a divulgação do potencial econômico do Estado no exteri...

26/05/2023 13h00
Por: Helder Peixoto Fonte: Secom Paraná
Foto: Cristina Gresele/Invest Paraná
Foto: Cristina Gresele/Invest Paraná

O plano do Governo do Paraná para expandir o comércio exterior foi apresentado quinta-feira (25) ao corpo diplomático que atua no Estado e a diretores de câmaras de comércio internacional. Durante o “Encontro com Consulados e Câmaras de Comércio”, na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR), o vice-governador Darci Piana, o secretário da Indústria, Comércio e Serviços (Seic), Ricardo Barros, e o presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, mostraram ações para que a produção paranaense conquiste mais mercados internacionais, bem como para atrair investimentos de empresas estrangeiras ao Estado.

Uma das principais ações do plano de internacionalização da economia paranaense é aumentar a divulgação do potencial econômico do Estado no exterior. Para isso, a Invest Paraná fará tradução de material informativo, como relatórios e vídeos, na língua dos países que queiram negociar com o setor produtivo paranaense.

“É importante que o corpo diplomático recebam essas informações não só do Governo, mas também das nossas entidades produtivas, para ajudar esse relacionamento comercial. Com isso, saem ganhando o Paraná, os países que farão negócios com a gente e os países que decidirem investir aqui. Afinal, são dois processos: busca por investidores aqui no Paraná, mas também de vendas da nossa produção lá fora”, ressalta Piana.

“Os corpos diplomáticos e as câmaras de negócios poderão distribuir para as empresas de seus países em sua língua todo o plano de expansão do Paraná e, assim, poderão ter início mais rodadas de negócios, mais relacionamentos comerciais internacionais”, completou o vice-governador.

Ricardo Barros destacou que esse material de divulgação na língua dos países que queiram negociar com o Paraná vai estimular a produção paranaense a conquistar mais mercados. “É um esforço que fazemos para facilitar a capilaridade da informação do potencial econômico do Paraná. É uma ferramenta que vai permitir alcançarmos mais pessoas, falando na língua de cada país. É uma solução objetiva dos problemas que eventualmente tenham nossos empresários, bem como os de outros países interessados em efetivar negócios no Paraná”, enfatizou.

No encontro, o presidente da Invest Paraná destacou os resultados das missões internacionais recentes do Estado. Apenas em 2023 a agência de captação de negócios do Governo, vinculada à Seic, enviou comitivas para cinco países: Japão, Coreia do Sul, Canadá , Estados Unidos e Portugal. Em junho, a Invest Paraná enviará, junto com a Faciap-PR, uma missão para a Itália com varejistas do Estado que negociarão importação de produtos como vinho, azeite, massas, entre outros.

“Faz toda diferença para o resultado da missão chegar ao país com os entes envolvidos nas negociações informados sobre o potencial econômico do Paraná. Por isso temos conquistados bons resultados quando vamos buscar mercados para o Estado lá fora”, apontou Bekin.

MUITO POTENCIAL– O Paraná registra um boom comercial internacional.A balança comercial do Paraná registrou o melhor desempenho dos quatro primeiros meses do ano da sua história em 2023. As exportações somaram cerca de US$ 7,3 bilhões no período, resultado 11,2% acima do primeiro quadrimestre de 2022 (US$ 6,5 bilhões) e o mais alto índice da série histórica analisada pela Secretaria de Comércio Exterior, do Governo Federal (Secex) desde 1997.

Pela primeira vez, o Paraná também superou dois milhões de toneladas de carnes exportadas em um único ano, de acordo com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). Foram 2,087 milhões de toneladas em 2022 , contra 1,985 milhão de toneladas em 2021, melhor marca até então. Houve um crescimento de 70% em relação a 2013 (1,221 milhão).

Para a chefe do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Paraná, Lígia Maria Scherer, o plano de internacionalização vai estimular o comércio exterior paranaense. “Essa é uma iniciativa formidável, o esforço de um Estado que tem status privilegiado de grande produtor do agronegócio e industrial, com educação reconhecidamente como a melhor do Brasil, de trazer benefícios por intermédio do comércio exterior e da captação de investimentos estrangeiros”, elogiou a representante do Itamaraty.

Uma amostra de como essa conquista por novos mercados pode aumentar é a relação comercial do Paraná com Bangladesh, país asiático com o qual o Brasil não tem tradição bilateral. O cônsul honorário de Bangladesh no Estado, Marcelo Grendel, afirma que o Paraná está à frente porque atualmente o comércio exterior não pode se limitar apenas a negociações entre países, mas deve ser feito também por governos estaduais e até municipais.

“O Paraná tem muita produção no agronegócio para exportação e isso interessa a Bangladesh porque o país tem 170 milhões de habitantes, o que eleva a preocupação com a segurança alimentar dessa população. Por isso Bangladesh está interessado em buscar no Paraná soja, milho e outras commodities que garantam essa segurança alimentar”, explicou o cônsul.

Grendel afirma que a embaixadora de Bangladesh no Brasil, Sadia Faizunnesa, assumiu o posto em Brasília há um ano com a missão de aumentar a relação comercial com o Brasil. E nesse planejamento, o Paraná é estratégico. “Uma das primeiras viagens da embaixadora no Brasil foi ao Paraná e ela ficou surpresa com o que viu aqui, o potencial que o Estado tem e tudo o que pode ser feito de negócios com Bangladesh. A partir daí, começou a prospecção de negócios que, com certeza vão, crescer cada vez mais”, avaliou.

O cônsul da Holanda, Robert de Ruijter, afirma que o Paraná já é um dos principais parceiros comerciais do país, sendo o Porto de Roterdã o principal destino das exportações feitas pelo Porto de Paranaguá para a Europa. Relação que tende a aumentar com essa aproximação do Governo do Estado com os operadores do comércio exterior.

“Ficamos felizes de ouvir que o Governo do Paraná está trabalhando cada vez mais para tirar barreiras que impedem a realização de negócios. Isso é muito importante para criar um ambiente econômico amigável, trazendo mais negócios e gerando mais empregos para a população, elevando o Estado a outro nível”, avalia o cônsul holandês.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias